//Mensagem de D. José Ornelas: “Advento: Tempo de esperança ativa”

Mensagem de D. José Ornelas: “Advento: Tempo de esperança ativa”

Neste domingo, 3 de dezembro, iniciamos o novo ano litúrgico, assumindo a caminhada do Advento, que nos levará até ao Natal do Senhor. Este tempo sublinha a dimensão de caminho e de esperança que carateriza a fé cristã, promovendo uma atitude ativa de compromisso na transformação da própria vida e do mundo à nossa volta.

Essa atitude nasce de uma visão realista de fé, que nos torna conscientes do valor e das capacidades de nós próprios e da realidade que nos rodeia, mas igualmente dos seus limites: os erros, o sofrimento, a pobreza, a injustiça, a guerra, a desumanização.

Quem crê descobre, em si próprio e à sua volta, a ação do Espírito de Deus que aponta e conduz à transformação positiva da vida: o mundo não é perfeito, mas pode ser melhor e nós somos desafiados a ser parte dessa transformação.

A atitude de Maria e a palavra dos profetas que acompanharão este nosso caminho convidam-nos a olhar com realismo e esperança para nós próprios, para a nossa família, a nossa Igreja e o mundo em que vivemos. Porque Deus vem para o meio de nós e nos acompanha com o seu Espírito, é possível caminhar, mudar, melhorar.

É tempo de abrir o nosso coração a Deus que abre os olhos do nosso coração para além daquilo que vemos, sabemos e podemos. É tempo de ter esperança! É tempo de ser esperança!

Mas o advento não é apenas contemplação e sonho idílico de futuro. É um tempo de caminho concreto, é esperança ativa que torna possível a mudança. Motivados pela fé, transformados pelo Espírito de Deus, pomo-nos a caminho, para transformar-nos e para transformar; converter-nos e converter. Não nos resignamos nem nos deixamos intimidar pelas maiores dificuldades, pelo sofrimento ou pelos nossos limites e pecados.

A esperança faz-nos avaliar, corrigir e avançar, para construir um mundo melhor, para levar luz onde há trevas, reconciliação onde há conflitos, pão onde há fome, justiça onde há opressão, fé onde há, apenas, materialismo e solidão.

Guia-nos neste caminho de conversão, João Batista, o profeta do advento. É tempo de sair de si próprio, de abrir os olhos aos que nos cercam, de estender a mão a quem está caído, para construir um mundo mais justo, mais solidário e mais humano.

De entre os muitos sinais de esperança, de caminho, de fé e de compromisso que se verificam nas nossas famílias, paróquias e na Diocese, quero realçar os passos concretos que estão a dar, nestes dias, três jovens seminaristas que se preparam para estar ao serviço da Igreja no ministério sacerdotal.

No dia 3 de dezembro, na igreja da Torre da Marinha, dois membros da Comunidade da Aliança da Misericórdia – o Danilo Rasera Adorno e o Gilson Zen Parede Garcia – serão instituídos Leitores.

No dia 8 de dezembro, na Sé de Setúbal, será ordenado Diácono da nossa Diocese o João Paulo Gomes Duarte. Damos graças a Deus e acompanhamos com amizade e a oração estes três irmãos, a fim de que sejam sinais autênticos de fidelidade ao Senhor que os chamou e de serviço dedicado e carinhoso aos irmãos.

Vivamos este tempo de advento guiados por Maria:

na leitura atenta da Palavra de Deus;

na oração pessoal, em família e na comunidade cristã;

na abertura do coração aos que mais precisam de atenção, de ajuda, de esperança.

Setúbal, 1 de dezembro de 2017
+ José Ornelas Carvalho
Bispo de Setúbal

By | 2017-12-03T15:01:04+00:00 Dezembro 3rd, 2017|Artigo|0 Comments