Se é desejável que os cristãos dominem o «continente digital» e o preencham com a luz do Evangelho, então o seu estilo de comunicação deve destacar-se dos padrões comuns.
Faz todo o sentido que cristãos que têm blogues se ocupem com temas cristãos.
Mas se usam esses meios para denunciar, caluniar, tratar mal ou julgar os outros, se provocam divisões ou se as apoiam, então fazem o contrário daquilo que o Papa Francisco exige na Evangelii gaudium: «A alegria do Evangelho é para todo o povo, não pode excluir ninguém».
Também vale para a presença dos cristãos nos meios de comunicação social: «(…) que a Igreja saia para anunciar o Evangelho a todos, em todos os lugares, em todas as circunstâncias, sem demora, sem resistência e sem medo» (EG, 23).